domingo, 15 de novembro de 2009

Verbo no Pretérito Imperfeito do Indicativo

Tinha sido muito bom; mas pra ela faltava algo mais. Como diria o dito popular 'já deu o que tinha quer dar'.
Ela acabou por perceber que era amor de uma noite, e que não passaria disso.
Precisava de mais. Vivia por mais.
Queria se apaixonar.
Tinha medo do grande amor não aparecer. De nunca encontra o cara que a acharia linda mesmo de tênis e o pior jeans. Medo de não achar a conchinha perfeita pra assistir a comédia romântica. Ou de não ir ao cinema por falta de companhia.
Precisa amar.
Precisava pensar em alguém, e saber que esse alguém gastava minutos de pensamento com ela. Isso fazia bem pro seu coração, pra mente, pro corpo, pro ego.
Precisa viver um grande amor.
Daqueles que não precisam ser eternos, por que a eternidade é muito tempo. Mas daqueles que duram pra sempre mesmo depois do adeus, da briga, ou da palavra maldita.

'Caberá ao nosso amor o eterno ou o não dá
Pode ser cruel a eternidade (...)
Eu quis te convencer, mas chega de insistir
Caberá ao nosso amor o que há de vir
Pode ser a eternidade má(...)'
Janta-Marcelo Camelo e Mallu Magalhães

3 comentários:

Gabi Petrucci disse...

Que lindo!
Tô precisando de um amor desses também!
Tudo culpa de um outro mal resolvido! :T

naty c.m disse...

Tô precisando do meu amor de volta...Precisando daquele que perdi por motivos complicados demais pra explicar...
Gostei daqui, voltarei mais vezes!
Tô seguindo e favoritando!
Passe no meu blog quando puder :D

Pedro Ricelly disse...

Que lindo, Hiorrana *-*
Essa sua saída de casa lhe fez bem hmm'

Assim que eu passar pelo menos nas disciplinas que são pré-requisito eu penso em amar, porque agora tá tenso -t