quinta-feira, 8 de julho de 2010

São só Verbos (I)

Já sentiu que algo, é tão perfeito que nunca poderá ser alcançado?
Que está além das suas forças, além da sua intelgência? Que excede a toda matemática, física, química ou qualquer matéria que você possa ter aprendido em 11 anos de colégio?
Já teve vontade de estar preso por vontade? Assim como disse Camões...
De perder tudo e começar do zero, de começar de novo, de refazer os sonhos.
Já matutou 5 minutos de como lhe faria bem ser surpreendida; de como seria maravilhoso receber ao meio dia um bouquet de flores do campo escrito em um cartão com letras pequenas “Só porque eu te amo, e não consigo parar de pensar em você".
Já raciocinou sobre como seria maravilhoso se alguém ou algo fosse diferente, se as coisas mudassem, se a vida mudasse, se ele mudasse.
Mas é inalcançável.
É quase impossível.
Demanda tempo, e tempo que pode no fim demandar sofrimento
Mas quem falou que só porque algo é inalcançável, é motivo pra não querê-lo?

Se Tu Mudasses é Imperfeito do Subjuntivo.
Agora, Nós Mudamos é Perfeito do Indicativo.

3 comentários:

' Berg Dantas (: disse...

lindo! lindo!
eu respondi já em todas. e sorri no final ao ver que posso sim, desejar o inalcançável.

foi tu mesmo que escreveu?!
não desmereçendo nem nada, mas é que tá estilo escritora profissional renomada! :D

adorei te ler de novo, querida.
abração!

Leandro Luz disse...

Ótimo texto!
Você está completamente certa! Querer o inalcançável não faz mal nenhum!

^^

Pedro Ricelly disse...

Lindo texto, mesmo *-*